O encontro incidental de nódulo tireoidiano ocorre em 30% a 50% das pessoas, como resultado da facilidade dos métodos de imagem, especialmente a ultrassonografia (US), da disponibilidade de aparelhos de alta resolução e da maior realização de exames de rotina.

A punção aspirativa por agulha fina (PAAF) é considerada o principal método para a avaliação inicial desses nódulos, uma vez que permite analisar a constituição da lesão e as características de suas células, conseguindo estabelecer um diagnóstico na maioria dos casos.

Em cerca de 80% dos pacientes, o exame mostra que o nódulo é benigno, possibilitando a adoção de uma conduta expectante. O restante apresenta resultados inconclusivos ou mesmo aponta malignidade. Nos casos em que não se chega a uma conclusão, outros exames, como testes de biologia molecular ou a exérese do nódulo, podem ajudar o médico na avaliação.

Orientações Necessárias

1- Informações sobre o exame

  • O procedimento consiste na aspiração de nódulo tireoidiano com agulha fina, guiado com o auxílio da ultrassonografia.
  • Utiliza-se anestésico no local da punção.
  • O material obtido será enviado para análise citológica.

2- Critério de realização

  • O procedimento é realizado somente com pedido médico.
  • Clientes menores de 18 anos de idade devem estar acompanhadas de um responsável legal, por se tratar de um exame invasivo.
  • Devem ser apresentados resultados anteriores de exames da tireóide, se houver.

3- Preparo

  • De 7 a 10 dias antes da punção, o cliente deve suspender o uso de ácido acetilsalicílico (Aspirina®️, AAS®️, Melhoral®️, Bufferin®️, etc.), e de medicações anticoagulantes (Marevan®️, Coumadin®️, Xarelto®️, Heparina, Varfarina Sódica, etc.) com o consentimento do médico assistente.